Contemplando O Arco-íris Ou A Solidão Compungida Da Cidade Grande

Arco-íris sobre o campoFortaleza amanheceu — como só o cearense ousa dizer — com um dia bonito, gris, cinzento, entremeado com alguns raios de sol; um pouco de atribulação para os que se dirigem ao seu ganha-pão, mormente aqueles que pegam o condução, mas um momento de raras endorreminiscências para os que, por qualquer motivo, podem se dar ao luxo de postergar sua saída do leito e se refestelar com o tempo agradável.

No caminho, já a bordo do ônibus que serve ao meu órgão público, donde, malgrado more a meros três quilômetros, mercê do traçado da minha rota, leva-se próximo de uma hora para cumprir o trajeto, pude me dar ao luxo de observar que se formara um majestoso, imponente, vibrante arco-íris!

Minha colega de rota (e vizinha, mesmo condomínio), percebi, não estaria ciente de tão bela imagem, avisei-lhe, incontinente e incontinenti. Sem querer, mesmo falando em um volume de voz aceitável, percebo ora que outras pessoas ouviram o meu alarde e começaram a apreciar e a comentar a beleza do nosso fenômeno cromatográfico-meteorológico. Puxa. Que bela sensação. Consegui, mesmo sem ser esta a intenção, despertar outras pessoas para aquele momento mágico, naquela pequena janela de tempo.
Mas o que me intrigou (quiçá, também ao leitor) não foi só a beleza nem mesmo a peculiaridade do momento. Foi, isto sim, pensar o quanto a vida moderna, nas cidades grandes, nos tira estas faculdades, nos constrange a vivermos em função do trabalho, como se este fosse a [própria] vida, não só parte, mesmo importante, desta. Não é só uma questão profissional. O homem das cidades pequenas, cidadelas, vilas, tem o direito de acordar um pouco mais cedo, não para não perder a hora da labuta, mas para poder contemplar as coisas simples, recônditas, vilipendiadas pela explosão demográfica, pela busca capitalista pelo acúmulo insano, pelo mais e mais, mas que, pasme-se, continuam belas e contemplativas.

Lembrei-me da minha infância em Itapipoca, banhos de açude, de chuva, nas calhas, nos casarões, sem esquecer os indefectíveis olhares de soslaio dos seus senhorios, como a dizer:
Fora!!! Esta calha é minha!, o que não nos impedia de fingir se ir e retornar, quando o vigilante da calha não mais estivesse!
Tomar banho ao relento, furtar frutas. Observar pássaros. Olhar desenhos aleatórios de nuvens!
Lembrei que costumava desfrutar do arco-íris com outro olhar, menos circunspecto, menos afeito à lógica fria do croma, das temperaturas de cor, da refração, da decomposição da luz; enfim, o filtro era outro, mas nem por isso deixei de me enternecer pela beleza deste raro momento. Meu dia ficou ainda mais belo!

Impossível fazer esta egologia sem evocar os Titãs e a sua belíssima música: Epitáfio. A letra diz tudo. Viva mais. Usufrua. Permita-se. Contemple a vida. Enquanto é possível.

Créditos da imagem: Arco-íris sobre o campo. Fonte: Cultura Mix

Anúncios

19 comentários sobre “Contemplando O Arco-íris Ou A Solidão Compungida Da Cidade Grande

    1. Bom dia.
      Valéria Miguez (LELLA) (27 de junho de 2015 às 03:22):

      Que outros arco íris invadam sempre o seu percurso!
      São colírios para começar bem um dia!
      “.

      Obrigado, cara Lella. Reciprocamente. Que a sua vida continue nesta senda iluminada. Quanto ao convite para participar, como articulista, no Blogue, será uma enorme honra. Apenas preciso escrever algo que não o desmereça, algo realmente à altura do que vocês vêm fazendo, cuja envergadura, cujo alcance, transcende o momento. Vosso espaço tem uma responsabilidade histórico-estética para com a sétima arte e vocês vêm conseguindo manter o ritmo, com muita maestria. Que continuem sempre assim.

      Saudações “O Pré-Sal É Do Povo Brasileiro; Vamos Enfrentar Os Golpistas E Defender A PetroBrás; o MPF (Ministério da Política dos Fuleiragens), é o braço judicial da Casa Grande“,
      Morvan, Usuário GNU-Linux #433640. Seja Legal; seja Livre. Use GNU-Linux.

        1. Boa noite.
          Está bem; assim que tiver algum material, envio-o.

          Saudações “O Pré-Sal É Do Povo Brasileiro; Vamos Enfrentar Os Golpistas E Defender A PetroBrás; o MPF (Ministério da Política dos Fuleiragens), é o braço judicial da Casa Grande“,
          Morvan, Usuário GNU-Linux #433640. Seja Legal; seja Livre. Use GNU-Linux.

  1. Fiquei com uma saudade dos tempos que não voltam mais. Cajuzinho bom que eu “roubava” do quintal de D. Iracema.
    A natureza segue seu ciclo, sempre bela e apreciada por poucos, infelizmente.
    Um grande abraço pra você .

    1. Bom dia.
      Liduina (26 de maio de 2015 às 22:21):

      … tempos que não voltam mais. Cajuzinho bom que eu “roubava” do quintal de D. Iracema.
      A natureza segue seu ciclo, sempre bela e apreciada por poucos, infelizmente….

      Eu, Liduina, tinha meu “manancial” de frutas no Sítio Sanharão, ao lado do Colégio Joaquim Magalhães. Ali, tomávamos banho (piscina dos outros, claro) e ainda tínhamos uma “CEASA” ao nosso dispor. O que mais poderia desejar alguém, nos verdes anos? Abraços.

      Saudações “✿ ❀ ❁ Dilma, Vamos De Coração Valente; Enfrentar Os Golpistas E Defender A PetroBrás; o MPF (Ministério da Política dos Fuleiragens), é o braço judicial da Casa Grande“,
      Morvan, Usuário GNU-Linux #433640. Seja Legal; seja Livre. Use GNU-Linux.

  2. Caro Morvam! Lembrei-me também do O Rappa: “…faltou luz mas era dia, o sol invadiu a casa, fez da tv um espelho, refletindo o que a gente esquecia….”

    1. Bom dia.
      Revenger (25 de maio de 2015 às 17:22):

      … faltou luz mas era dia, o sol invadiu a casa, fez da tv um espelho, refletindo o que a gente esquecia…

      (O Rappa).
      Isso mesmo, caro Revenger. Bem-vindo de volta ao blogue.

      Saudações “✿ ❀ ❁ Dilma, Vamos De Coração Valente; Enfrentar Os Golpistas E Defender A PetroBrás; o MPF (Ministério da Política dos Fuleiragens), é o braço judicial da Casa Grande“,
      Morvan, Usuário GNU-Linux #433640. Seja Legal; seja Livre. Use GNU-Linux.

  3. O texto está excelente! pena que na nossa vida agitada de cidade grande esses momentos sejam tão raros, mas é bom saber que apesar de tudo a natureza continua com toda sua beleza e exuberância.

    1. Boa tarde.
      Fátima Osorio (25 de maio de 2015 às 13:24):

      O texto está excelente! pena que na nossa vida agitada de cidade grande esses momentos sejam tão raros, mas é bom saber que apesar de tudo a natureza continua com toda sua beleza e exuberância.

      Isso mesmo, Fátima Osório. A gente acaba se desconectando das coisas bonitas da vida, via obrigações do dia a dia, mas a natureza segue seu curso, para nossa alegria.

      Saudações “✿ ❀ ❁ Dilma, Vamos De Coração Valente; Enfrentar Os Golpistas E Defender A PetroBrás; o MPF (Ministério da Política dos Fuleiragens), é o braço judicial da Casa Grande“,
      Morvan, Usuário GNU-Linux #433640. Seja Legal; seja Livre. Use GNU-Linux.

  4. Bela crônica, Morvan! Pensei na sobrevivência… Lembrou-me Pasolini…
    Era l’unico modo per sentire la vita,
    l’unica tinta, l’unica forma: ora è finita.
    Sopravviviamo: ed è la confusione
    di una vita rinata fuori dalla ragione.
    baci

    1. Boa tarde.
      Vivi (25 de maio de 2015 às 13:24):

      Lembrou-me Pasolini…

      Era l’unico modo per sentire la vita,
      l’unica tinta, l’unica forma: ora è finita.
      Sopravviviamo: ed è la confusione
      di una vita rinata fuori dalla ragione.

      Cara Vivi, obrigado. Sempre evoco Domenico de Masi, quando tento me relacionar (sem traumas!) com alguns neo-taylorianos, no trabalho. Dá um trabalho, sem trocadilho, para convencê-los de que o autor cita ócio mas não é ócio, é vida.

      Saudações “✿ ❀ ❁ Dilma, Vamos De Coração Valente; Enfrentar Os Golpistas E Defender A PetroBrás; o MPF (Ministério da Política dos Fuleiragens), é o braço judicial da Casa Grande“,
      Morvan, Usuário GNU-Linux #433640. Seja Legal; seja Livre. Use GNU-Linux.

  5. Ei amigo Morvan,
    Três quilômetros em uma hora?
    Palpite: Quando puder, vá a pé! É mais rápido.
    Melhora ainda mais o astral, e faz bem para a saúde!
    abraço.

    1. Boa tarde.
      Emerson57 (25 de maio de 2015 às 11:56):

      Ei amigo Morvan,
      Três quilômetros em uma hora?
      Palpite: Quando puder, vá a pé! É mais rápido.
      Melhora ainda mais o astral, e faz bem para a saúde!
      abraço.

      Já o fiz, caro Emerson57. Mas por um fato diverso da questão de saúde, mesmo com sua importância intrínseca: como o ônibus não passava, e, em pegando ônibus de linha demandaria mais tempo (teria que rotear ao Terminal de Messejana), fui a pé. Cheguei bem suado, mas cheguei a tempo de iniciar a aula. Fiz isso umas três vezes.

      Saudações “✿ ❀ ❁ Dilma, Vamos De Coração Valente; Enfrentar Os Golpistas E Defender A PetroBrás; o MPF (Ministério da Política dos Fuleiragens), é o braço judicial da Casa Grande“,
      Morvan, Usuário GNU-Linux #433640. Seja Legal; seja Livre. Use GNU-Linux.

    1. Boa tarde.

      Obrigado pelo retorno, caro Daniel.

      Saudações “✿ ❀ ❁ Dilma, Vamos De Coração Valente; Enfrentar Os Golpistas E Defender A PetroBrás; o MPF (Ministério da Política dos Fuleiragens), é o braço judicial da Casa Grande“,
      Morvan, Usuário GNU-Linux #433640. Seja Legal; seja Livre. Use GNU-Linux.

    1. Boa tarde.
      Obrigado pelo retorno, cara Suse. Seja bem-vinda.

      Saudações “✿ ❀ ❁ Dilma, Vamos De Coração Valente; Enfrentar Os Golpistas E Defender A PetroBrás; o MPF (Ministério da Política dos Fuleiragens), é o braço judicial da Casa Grande“,
      Morvan, Usuário GNU-Linux #433640. Seja Legal; seja Livre. Use GNU-Linux.

Se Desejado, Comente Sobre Este Tópico!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s