Lula, Ícone De Um Povo, Viverá!

Calunista‘ Global Incita, defende, abertamente, o desaparecimento de Lula (Alô, JustiSSa! Alguém ainda aí?)
Não carece repetir o nome do escriba, nem ao poço do ódio, nem mesmo suas lassas razões, tudo isso sobejamente disponível in loco, bem como nas Redes Antissociais. Faça-se rápida, mesmo que não vápida análise sobre o ódio e seus arautos, e só.

Pelo bem do país, Lula deve Morrer, disse o embevecido, encolerizado calunista. Estivéramos em uma democracia, quem destila tanto ódio, tanta apologia à morte estaria em sérios apuros legais, presume-se.
A propósito, o que é o Bem ao qual se refere o salivante? Sobre qual país este apanágio recairia? Ao mesmo onde todo aparato ideológico deixa incólumes mercadores deste, inclusive de sentenças? Pouco provável…
Resta inútil lembrar ao salivante calunista que, malgrado se possa matar o homem alvo de tanto ódio, impossível matar o ícone. Lula é tão indestrutível, enquanto alter de uma era, de um povo, de uma identidade, coisas sabidamente ausentes na classe dominante, que seu desaparecimento físico poderia produzir resultados inesperados, exceto cessar o mito; empoderá-lo, ainda mais, certamente. É por isso que ainda não se ordenou, ainda, da Matriz, a Solução Final para o “Jara“.
Neste ponto, os que controlam os títeres daqui têm muito mais sensatez, por assim dizer.

Pelo bem de qualquer lugar, aqui, algures, Lula deve viver; todos devemos; ser escrutinado pelo seu povo, pois, de todos os males e sortilégios, que perdure a esperança, tão sabiamente velada por Pandora, em prol dos homens.
É o triunfo da razão sobre o ódio. Lutar pela liberdade (e pela integridade física, mais do que nunca, de Lula ou de qualquer pessoa que se encontre ameaçada pelas suas convicções políticas. Lula vive. Viverá, sempre… Ele representa Madiba e Dreyfus, e isso não pode ser evitado. Saibam disso os salivantes. Lula do Brasil.

Anúncios