Retrocesso Institucional. Até Quando?

Passado o sufoco do segundo turno da eleição presidencial, preparávamo-nos para o inexpugnável terceiro turno, aqui e em toda a América do Sul. Só não nos era, penso, possível, então, antever a ferocidade deste, mesmo que as eleições, no Brasil, desde 2010, tenham se tornado mais e mais atrabiliárias, com a direita se tornando, a cada dia, a pitonisa do golpe, fosse qual a modalidade, clássico, ou em sua modalidade mais “moderna”, judiciário, a la Honduras.

Desde aquelas eleições, como dizíamos, a direita “virou a mesa”, com o carteado já distribuído, supõe-se, sabedora do seu desfavor, vindoiro, no jogo. “Convocaram” o então Papa, o bispo não sei d´onde, mandando ao inferno, literalmente, as conquistas, até aqui, do Estado laico. A questão do aborto virou estratégia eleitoral, não funcionando, ao final, para os “ungidos” por estes terem praticado os “crimes” aludidos. Tragicômico, surreal, mesmo no Brasil.
A imprensa mundial tratou também de dar sua contribuição, “despida de qualquer interesse” no jogo, com as revistas da banca internacional entrando de corpo e alma (por assim dizer…) na disputa, sempre de modo “democrático” e “isento”.

Com a chegada (anunciada) do terceiro turno, tivemos um grande retrocesso institucional, no Brasil. Processo, lembre-se, iniciado em 2005, com a pantomima do mentirão, digo, mensalão e afunilado neste último terceiro turno. Os avanços institucionais se diluíram na sanha golpista e nos remete a um passado recidivo. Tudo parece um filme a se repetir.
O divisor de águas da quebra na inflexão federativa que parecia se desenvolver, no Brasil, aparenta ser o caso do Grampo Sem Áudio (sic!). A partir dali, experimentamos, concomitante com um protagonismo espúrio e crescente das instituições que deveriam ser fiscais da Lei ou, no mínimo, zelar pela sua observância (MP[E|F], PF, STF, etc.).

Se Umberto Eco tem razão em dizer que as Redes Sociais empoderaram o imbecil fundamental, no Brasil, terra de extremos, as tais armadilhas digitais deram vez ao midiota mais perigoso de todos, pois além da pouquíssima qualidade educacional, é um tipo que se reconhece historicamente por repelir os rótulos. É um tipo que não aceita ser chamado de golpista. Tanto que criou o malabárico conceito da “Intervenção Militar Constitucional”. Fruto destes tempos rábicos são, por exemplo, as passeatas pedindo o golpe, mas sem golpe, por favor. Mulheres com faixas defendendo o feminicídio (não lhes pergunte o sentido da faixa. Elas apenas estão protestando contra “algo”…); faixas protestando contra excesso de Paulo Freire nas escolas, bem como projetos de lei proibindo doutrinação marxista nos mesmos estabelecimentos! Aqui, a simultaneidade dos protestos e do projeto da direita estragaram a espontaneidade e acontece o mesmo com as faixas portadas pelas mulheres: não pergunte ao midiota portador de tais faixas quem foi Paulo Freire. Uma pergunta destas é uma indelicadeza…

Já em 2013, teve promotor público, pago com o erário, fazendo apologia do crime: Mate um petista e arquivamos o inquérito. Mais direto, impossível. O apologista criminal utilizou o FaceBook, esta máquina de criar lobotomizados, para alardear o seu próprio crime.

Agora, passado o Mensalão, Operação Vaza A Jato, digo, Lava A Jato, temos o desmonte completo da indústria, mormente a de ponta, brasileira, além de a tal de Vaza A Jato só terminar quando o seu títere, o sr. Moro, juiz de primeira instância, mas com poder sobre todo o arcabouço institucional, conseguir o seu intento, que é, de qualquer modo, destruir o PT, a Petrobrás, o Brasil e prender o seu (de toda a direita) inimigo figadal, Lula, o Nêmesis. O que vier primeiro destes eventos.
Os poucos que diziam que a reforma do gangrenado Poder Judiciário seria prioridade, sabiam que esta reforma seria sine qua non. Sem ela não haveria possibilidade de avanço, pois este poder sempre foi o mais recalcitrante a qualquer avanço social e foi o grande coonestador do regime militar.
E também dizíamos que sem educar o povo este mesmo se voltaria contra seus defensores. Só pão, sem educação, nunca funcionou, aqui e nem algures.

A esquerda (pense esta palavra com certa amplitude) brasileira tem grande culpa no nosso retrocesso; em vez de preparar as pessoas, fazia-se omelete no cafofo da serpente. Em vez de incentivar a mídia alternativa, foi-se a rapapés das famílias midiáticas.

Hoje, quando se vê ministra (caixa baixa intencional) do stf (idem) utilizando, ironicamente, motes da esquerda para punir os inimigos da casa grande; quando se assiste à pantomima de ministra (idem!) reconhecendo não haver elementos para condenar, mas, a despeito, ela o faria, quando se vê organização paramilitar dentro do Estado, conspirando contra a Presidente, organizando-se politicamente, com estrutura estatal, em prol do candidato derrotado, instituições estatais mancomunadas com órgãos de imprensa, engajados em causas nada federativas, a esquerda tem de fazer um rotundo mea culpa. Somos partícipes, pela omissão, que o seja, mas o somos.
Quando se vê, idem, ministro de Estado apoiando projetos lesa-pátria da direita, não é tão estranho assim, desde que ele não permaneça. O sr. Levi, ao defender projetos do nefando Serra e de outros inimigos do país, está fazendo o seu jogo. Quem está jogando contra é quem o mantém.

Para não dizer que não falei das flores, vivam os estudantes das escolas públicas paulistas, aqueles que lutam bravamente contra a privatiz., digo, normalização das escolas. Estes, sim. Têm coração valente e desejam uma pátria realmente educadora. Sem “normalização”. Parabéns a estes jovens. Vós sois, de fato, a esperança.

Anúncios

4 comentários sobre “Retrocesso Institucional. Até Quando?

  1. Boa noite.
    Só para corroborar o que digo, não é inédito, mas o MP-SP Aciona Haddad, de Novo, e vejam só o motivo alegado: usar recursos de multas para financiar obras e implantar ciclovias. Que “crime”, heim? Tá ficando tosco, o modo explícito destes senhores do MPF (Movimento da Política dos Fuleiragens). Estes caras (de pau) deveriam ter um pouco mais de comedimento. Estão exagerando, faz tempo. Sabujos. Homúnculos.

    Saudações “Por uma Justiça verdadeira, apartidária, federativa, sem ‘Não Vem Ao Caso’, sem udenismo, a serviço do cidadão“,
    Morvan, Usuário GNU-Linux #433640. Seja Legal; seja Livre. Use GNU-Linux.

  2. Caro Morvam. Tava desaparecido do cafofo Hariováldico.

    Bem que eu estranhei quando, das descobertas de que a agencia americana nsa estava bisbilhotando a Petrobrás, as americanas se retiraram do leilão do préssal.

    hoje fico à imaginar. Teriam os americanos abastecidos dr Mouro SetentaEseteMil de informações sobre os negócios escusos na Petrobrás?

    Acredito que sim. Dr Mouro SetentaEseteMil pega os caras “certos”, ao que parece sem muitas investigações profundas, os prende já sabendo o que eles tem à dizer e esperam até que se diga.

    Aí, prende outro e solta esse um. repete-se a manobra. E assim sucessivamente, numa espécie de “pirâmide” em que no final, um vai ter que ficar preso pois não terá mais à quem delatar. Ou não.

    Esse joguinho, até pela corrupção em si no Brasil, poderia durar uma geração inteira.

    Nesse interím, destrói-se o o mais importante, até mais que o próprio préssal, que são o conteúdo nacional. As corrupções tucanas são vergonhosamente deixadas de lado, tanto pela mídia quanto pelos investigadores, promotores e juízes.

    Agora quanto ao discurso da ministra Carmen Lúcia é um desastre ferroviário. Sem comentário.

    1. Boa tarde.
      revenger (1º de dezembro de 2015 às 15:52):

      “… Bem que eu estranhei quando, das descobertas de que a agencia americana nsa estava bisbilhotando a Petrobrás, as americanas se retiraram do leilão do préssal.

      hoje fico à imaginar. Teriam os americanos abastecidos dr Mouro SetentaEseteMil de informações sobre os negócios escusos na Petrobrás?…”

      Caro Revenger, como diz o Editorial da Carta, O Império Contra-Ataca. ALBA, Mercosul, UNASul, política externa soberana, altiva, do Brasil, nada disso ficaria incólume ante os olhos da águia.
      O Menino 77KPlus não está sozinho. Ele apenas está fazendo o trabalho sujo, desmantelando a economia brasileira, mas as eminências por trás deste trabalho de lesa-pátria tem muitos tarja-pretas. Todos eles não vêm ao caso, por assim dizer.
      Este tipo de energúmeno, de sacripanta, não me admira, e sim os que o deixam agir. Estes são os cordeiros que não balem…

      Saudações “Por uma Justiça verdadeira, apartidária, federativa, sem ‘Não Vem Ao Caso’, sem udenismo, a serviço do cidadão“,
      Morvan, Usuário GNU-Linux #433640. Seja Legal; seja Livre. Use GNU-Linux.

Se Desejado, Comente Sobre Este Tópico!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s